Política

Presidente da Câmara da Guarda diz que seria «irresponsabilidade» realizar Assembleia Municipal extraordinária

Escrito por Luís Martins

O presidente da Câmara da Guarda revelou esta segunda-feira os pareceres da Delegada de Saúde Coordenadora da Unidade Local de Saúde da Guarda e da Direção-Geral da Saúde que fundamentam a decisão de não autorizar a cedência do TMG para a realização de uma Assembleia Municipal extraordinária, agendada inicialmente para esta tarde.

«Ninguém está acima da lei», disse Carlos Chaves Monteiro, numa conferência de imprensa realizada ao final da manhã na sala da Assembleia Municipal. Para o autarca, a decisão de não autorizar a utilização do TMG «não é um ato de  autoridade excessiva, antes pelo contrário, seria irresponsabilidade do presidente da Câmara deixar realizar esta Assembleia Municipal, que viola as normas determinadas pela estado de calamidade».

Saiba mais na próxima edição de O INTERIOR. 

Sobre o autor

Luís Martins

Deixar uma resposta