Economia

Aumentos de salário e subsídio de turno cancelam greve nas minas na Panasqueira

Escrito por Luís Martins

Os mineiros da Panasqueira desconvocaram a greve de três horas por dia agendada para esta semana após terem chegado a acordo com a Beralt Tin & Wolfram Portugal para um aumento salarial de 2,75 por cento. O acordo foi assinado na segunda-feira.

Segundo o Sindicato dos Trabalhadores da Indústria Mineira (STIM), a administração da empresa concordou com um aumento do subsídio de turno em 25 por cento para o regime de dois e três turnos rotativos, bem como em garantir que estas condições terão efeitos retroativos a 1 de janeiro. A estrutura sindical adianta que o pagamento dessa verba será realizado por duas vezes, sendo a primeira prestação liquidada a 31 de agosto e a segunda a 30 de setembro. «É o acordo possível. Gostávamos de ter ido mais longe, mas os trabalhadores tiveram em conta que a empresa aceitou aumentar a proposta inicial e também a situação que o país atravessa por causa da pandemia», declarou Luís Paulo Mendes, porta-voz do STIM, adiantando que as novas condições foram validadas em dois plenários de trabalhadores.

Por sua vez, Corrêa de Sá, administrador da empresa concessionária da exploração da Panasqueira e é propriedade do grupo canadiano Almonty, afirmou que este acordo obrigará a «esforço extra» da Beralt Tin mas foi importante para «manter a paz social e evitar prejuízos maiores para todos». As Minas da Panasqueira são a única exploração de extração de volfrâmio a laborar em Portugal e empregam atualmente cerca de 250 trabalhadores, essencialmente oriundos dos concelhos da Covilhã e Fundão.

Sobre o autor

Luís Martins

Deixar uma resposta