Sociedade

“Excelência Clínica” para toda a região

Hospitais da Beira Interior mantiveram excelência clínica na primeira avaliação de 2018 desenvolvida pela Entidade Reguladora da Saúde.

Nem sempre a região recebe boas notícias no que toca à saúde, mas o sistema de avaliação da qualidade dos estabelecimentos prestadores de cuidados de saúde, desenvolvido pela Entidade Reguladora da Saúde (ERS), revela que os hospitais da Guarda, Covilhã e Seia mantêm boa qualidade nos cuidados prestados.
Os dados divulgados na semana passada dizem respeito exclusivamente à dimensão Excelência Clínica, dado tratar-se da única que é atualizada duas vezes ao ano, sendo as restantes (segurança do doente, adequação e conforto das instalações, focalização no utente e satisfação do utente) atualizadas no final do ano, e reportam-se a episódios de internamento com alta compreendida entre 1 de julho de 2016 e 30 de junho de 2017. Das 16 áreas analisadas, o Hospital Pêro da Covilhã, que integra o Centro Hospitalar Universitário da Cova da Beira (CHUCB) foi avaliado em 13, tendo obtido nível de qualidade II nas áreas de Ortopedia (artroplastias da anca e joelho e fraturas proximais do fémur), Ginecologia (histerectomias), Obstetrícia (partos e cuidados pré-natais), Pediatria (cuidados neonatais), Cuidados Intensivos e Cuidados Transversais (avaliação da dor aguda e tromboembolismo venoso no internamento).
Já a área de cirurgia geral, em específico a cirurgia do cólon, foi avaliada com nível de qualidade I. De fora ficaram Cardiologia (enfarte agudo do miocárdio) e Cirurgia de Ambulatório por não terem sido fornecidos os «elementos necessários para avaliação». Na especialidade de neurologia a amostra não foi considerada significativa, pelo que não obteve qualquer classificação. Já no Hospital do Fundão, que também integra o CHUCB, a Excelência Clínica não foi avaliada «devido à dimensão» da unidade, tal como aconteceu em avaliações anteriores.
Relativamente à Unidade Local de Saúde (ULS) da Guarda também não há novidades. Nas nove áreas submetidas a avaliação o Hospital Sousa Martins obteve nível de qualidade II em Ginecologia (histerectomias), Obstetrícia (partos e cuidados pré-natais), Pediatria (cuidados neonatais), Cardiologia (enfarte agudo do miocárdio), Neurologia (acidente vascular cerebral) e Cirurgia de Ambulatório. Quanto às áreas de Pediatria (pneumonias) e Ortopedia (artroplastias da anca e joelho e fraturas proximais do fémur) a «amostra não foi significativa», alega o SINAS. Por sua vez, o Hospital de Nª Sra. da Assunção, em Seia, submeteu para avaliação a área de cirurgia de ambulatório, que obteve nível de qualidade III.
Segundo a ERS, dos 124 hospitais avaliados, nove em cada dez obtiveram classificação de excelência clínica, cumprindo todos os critérios para a prestação de cuidados de saúde de qualidade. No início do ano deverá já ser conhecido resultado da avaliação de todos os parâmetros, onde, além da “Excelência Clínica”, constam a “Segurança do Doente”, a “Focalização no Utente”, “Adequação e Conforto das Instalações” e “Satisfação do Utente”.

Sobre o autor

Ana Eugénia Inácio

Deixar uma resposta