Coronavírus Sociedade

EPABI a funcionar normalmente «sem sintomas de contaminação» do coronavírus

Escrito por Luís Martins

A Escola Profissional de Artes da Beira Interior (EPABI), na Covilhã, está a funcionar normalmente por não se registarem «quaisquer sintomas de contaminação por coronavírus de qualquer elemento da comunidade escolar, tendo sido desencadeadas todas as medidas de prevenção», informou esta quinta-feira a direção da escola.

«Esta decisão foi validada quer telefonicamente, quer pessoalmente, há pouco, em reunião com a direção da EPABI, pela Delegada de Saúde, que não vê qualquer razão para outras medidas para além das já tomadas», adiantam os responsáveis, em comunicado enviado a O INTERIOR.

A EPABI reitera que «nenhum aluno, professor ou funcionário apresenta sintomas da doença, pelo que não há qualquer razão para apreensão da comunidade escolar». Na quarta-feira soube-se que o quinto doente infetado com coronvírus em Portugal tinha lecionado uma masterclass naquele estabelecimento de ensino nos dias 26 e 27 de fevereiro. 

Nesse dia, «quando fomos alertados pelo referido professor, sugerimos, depois de ouvida a Delegada de Saúde, que os alunos e professores que tiveram contacto direto com o professor da ESBAI se abstivessem de contactos sociais por um período de 14 dias», refere a direção da Escola da Artes da Beira Interior.

Desde então foram ativadas na escola «todas as medidas de prevenção e higienização» e estão a ser enviadas aos pais e encarregados de educação as informações das autoridades de saúde sobre os comportamentos de prevenção mais adequados. «Hoje mesmo uma aluna da escola manifestou sintomas que poderiam configurar uma contaminação, tendo sido encaminhada, por indicação clínica, para despiste no hospital de Coimbra, não tendo sido confirmada a contaminação», acrescenta a EPABI.

A direção garante que «a todo o momento, em face de novos dados, será reavaliada a situação e decididas as medidas a tomar», pedindo até lá «à calma e tranquilidade» da comunidade escolar e das famílias, que «podem ter a garantia de que estamos a tomar todas as medidas adequadas, sempre sob indicações e supervisão das autoridades de saúde».

Sobre o autor

Luís Martins

Deixar uma resposta