Região

Governo desconhece processo para instalação de fábrica de bagaço de azeitona na Cogula

Escrito por Jornal O Interior

O Governo desconhece qualquer processo de licenciamento industrial para instalação de uma fábrica de bagaço de azeitona na freguesia da Cogula (Trancoso), revela o Bloco de Esquerda (BE).
O projeto está a ser contestado pelos habitantes da localidade (ver edição de 18/07/2019) e esteve na origem de um requerimento das deputadas Maria Manuel Rola e Isabel Pires ao ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital sobre o assunto em janeiro deste. A resposta chegou na semana passada e garante que o IAPMEI «não tem conhecimento que se encontre a decorrer qualquer processo de licenciamento industrial de estabelecimento de refinação de bagaço de azeitona pela mencionada empresa, no concelho de Trancoso». O gabinete do ministro Pedro Siza Vieira acrescenta que esse procedimento é da competência da autarquia, «motivo pelo qual não é possível confirmar o relatado».
Conforme noticiou O INTERIOR, um grupo de habitantes da Cogula exigiu ao poder político medidas para inviabilizar a instalação daquela indústria poluente junto à Estrada Nacional 102, próximo do ramal da povoação, tanto mais que no Plano Diretor Municipal (PDM) a referida zona está em regime florestal. «Se a instalação de refinação de bagaço de azeitona ou outra se concretizar será uma tremenda agressão ambiental e social, não só para a Cogula, como para as freguesias contíguas, envenenando o ar que se respira. (…) As pessoas que têm amor à aldeia e querem lá continuar a sua vida e criar ali os seus filhos ficarão numa situação insuportável», denunciou na altura Vítor Pereira a O INTERIOR. Confrontado com a contestação popular, Amílcar Salvador, presidente da Câmara de Trancoso, garantiu que «o PDM não será alterado» para permitir a instalação daquela indústria. Tanto mais que «até à data não entrou nos serviços camarários nenhum pedido de licenciamento para qualquer obra ou instalação de indústria naquele local».

Sobre o autor

Jornal O Interior

Deixar uma resposta