Região

Flávio Massano governa em Manteigas mas Partido Socialista vai assumir a presidência da Assembleia Municipal

Escrito por Catarina Reino

Flávio Massano tomou hoje posse como presidente da Câmara Municipal de Manteigas. O autarca é o independente que vai governar a vila durante os próximos quatro anos, ainda que sem maioria. Também tomaram posse, este sábado, o novo executivo, assim como a Assembleia Municipal – para cuja presidência foi eleito Joaquim Quaresma Domingos, do Partido Socialista. Recordamos que, nas eleições de 26 de setembro, o “Movimento 2030” foi o mais votado (com 31,17 por cento) e, assim, quem presidiria à mesa seria Albino Cardoso. No entanto, tal não aconteceu, porque o “Movimento 2030” elegeu cinco deputados municipais, enquanto que o PS (cinco), o PSD (quatro) e o Nós Cidadãos (um), fazem um total de 10 votos que foram o suficiente para formar a oposição e eleger Joaquim Quaresma Domingos como presidente da Assembleia Municipal. Ora, tudo isto, pode ser um problema na gestão autárquica de Flávio Massano.

O recém empossado presidente da Câmara Flávio Massano revelou que um dos principais desafios do próximo mandato se prende com a união do executivo, pois o mesmo, tem três diferentes forças políticas: «Quis o resultado destas eleições que traduziu em votos a vontade do povo de Manteigas, que o novo executivo fosse composto por dois elementos do movimento independente Manteigas 2030, por dois elementos do Partido Socialista e por um elemento do Partido Social Democrata. Esta composição heterogénea que reúne três forças políticas distintas e que não nos confere maioria absoluta, implica da parte de todos, um sentido de responsabilidade maior. O futuro de Manteigas dependerá dos entendimentos, pontes e consensos a que este executivo chegue no dia a dia».

Flávio Massano disse ainda que «não podemos permitir, que a honra de termos sido eleitos para uma missão tão nobre e importante, nos desvie do nosso principal dever enquanto eleitos locais, o dever de salvaguardar e defender o interesse público de Manteigas», pois «fomos eleitos para colocar o melhor que somos e sabemos ao serviço desta população e não para nos opormos a todas as ideias que não são da nossa autoria, fomos eleitos para que com o nosso conhecimento e competência possamos todos contribuir, agora, neste momento, para a concretização do programa eleitoral que foi escolhido pelos manteiguenses e, nessa medida, para o desenvolvimento de Manteigas».

Flávio Massano, do movimento independente Manteigas 2030,  foi eleito com 34,14 por cento dos votos e obteve dois mandatos no executivo, ficando a seu lado como vereador o, também independente, Sérgio Paiva Marcelo. Esmeraldo Carvalhinho, pelo Partido Socialista, conseguiu 28,11 por cento dos votos garantindo também dois mandatos, no entanto o ex-presidente da Câmara não assumiu o lugar de vereador, e quem tomou posse pelo PS foi Tomé Branco Lopes e Ana Maria Saraiva de Matos. O Partido Social Democrata, ainda conseguiu eleger um vereador, neste caso o candidato Nuno Soares, com 26,76 por cento dos votos.

(Saiba mais na próxima edição de O INTERIOR).

Sobre o autor

Catarina Reino

Leave a Reply

Financiamento