Política

Sérgio Costa associa Chaves Monteiro à derrota de Júlio Santos na concelhia PSD da Guarda

Escrito por Luís Martins

Sérgio Costa promete trabalhar «com todos e para todos» e defender «o projeto político votado de forma clara e inequívoca em 2013 e 2017» para a Câmara da Guarda. «Esse é o nosso trabalho e prioridade a partir de agora, tudo o resto é extemporâneo. O momento é de arregaçar as mangas e trabalhar em prol da Guarda e do PSD», disse o recém-eleito presidente da comissão política concelhia da sede do distrito após serem conhecidos os resultados das eleições realizadas este sábado.

Sérgio Costa venceu com 239 votos, contra 145 de Júlio Santos, tendo sido registados 5 nulos. A lista G também ganhou para a mesa do plenário de secção, com Pedro Nobre a conseguir 243 votos e Ester Amorim 137. Nesta eleição houve ainda 3 votos brancos e 4 nulos. «São resultados inequívocos», sublinhou o novo líder social-democrata da Guarda, que deixou uma indireta a Carlos Chaves Monteiro, presidente da autarquia, que esteve grande parte da tarde com Júlio Santos. «Não quero dizer que ele sai derrotado desta eleição, mas de facto os militantes votaram maioritariamente na lista G», afirmou.

Por sua vez, Júlio Santos, que abandonou a sede social-democrata pouco depois de conhecer os resultados, lamentou ter havido nestas eleições «autênticos sindicatos de votos» e disse esperar que a lista vencedora «tenha juízo, porque se continua a afrontar a maioria PSD na Câmara receio que vá partir o partido». O seu «receio» é que a concelhia eleita passe «a ser oposição» a Carlos Chaves Monteiro. Saiba mais na próxima edição de O INTERIOR. 

Fotos O INTERIOR

Sobre o autor

Luís Martins

Deixar uma resposta