Política

PS desafia PSD a manter a confiança política em Cidália Valbom

Escrito por Luís Martins

O líder do PS da Guarda considera que a mesa da Assembleia Municipal (AM) tem de «refletir se tem condições para prosseguir e
o PSD tem de refletir se deve, ou não, manter a confiança política» em Cidália Valbom.

António Monteirinho reagiu esta terça-feira à polémica da marcação de uma AM extraordinária pela sua presidente que não aconteceu após o presidente da Câmara não ter autorizado a cedência do TMG para o efeito. 

O socialista disse ter assistido «em choque e com perplexidade» ao braço de ferro entre Cidália Valbom e Carlos Chaves Monteiro, a quem desafia a fazerem «uma reflexão séria acerca das condições que têm para continuarem no exercício dos seus cargos».

O líder concelhio acrescenta que o PS «repudia veementemente os lamentáveis acontecimentos» dos últimos dias e considera «verdadeiramente vergonhoso que aqueles que têm o dever de liderar este difícil combate decidam entreter-se em guerrilhas partidárias de ambição política pessoal, ao invés de cuidarem de cumprir, com zelo e responsabilidade, as funções para as quais foram eleitos com os votos dos guardenses».

Nesse sentido, António Monteirinho espera que os sociais-democratas saibam «tirar as devidas consequências» e assegura que «o poder deliberativo» da Assembleia Municipal na cairá na rua. «O PS cá estará para apresentar uma solução, pois estamos conscientes que à mesa da Assembleia Municipal compete a coordenação do exercício do poder deliberativo e fiscalizador, com exigência e
sentido de responsabilidade, em nome dos interesses da Guarda, e sem ter em vista a gestão de ambições pessoais, ou em função de conflitos de fação».

Sobre o autor

Luís Martins

Deixar uma resposta