Política

Carlos Condesso sucede a Carlos Peixoto no sábado

Escrito por Fátima Santos

Carlos Condesso é o único candidato à sucessão de Carlos Peixoto na presidência da Distrital da Guarda do PSD, cujas eleições decorrem este sábado.

O chefe de gabinete do presidente da Câmara da Guarda lidera uma lista de consenso onde prontificam os autarcas Rui Ventura (Pinhel) e Carlos Ascensão (Celorico da Beira) para os lugares de vice-presidentes. Carlos Peixoto concorre à presidência da Assembleia Distrital, Peres de Almeida é candidato à liderança da Comissão Distrital de Auditoria Financeira e e o nome de Jacinto Dias é proposto para o Conselho de Jurisdição Distrital. Para a comissão política distrital, Carlos Condesso esco-lheu João Carvalho, José Lemos, Marcos Paulo, Miguel Bandarra, Nazaré Ribeiro, Nelson Andrade, Sara Santos, Nuno Soares, Pe-dro Duarte e Ricardo Morgado, enquanto Maria Fátima Palos é candidata ao cargo de tesoureira e João Prata a secretário distrital. Para o candidato, «o PSD unido é praticamente imbatível», sendo que uma das suas prioridades é preparar as próximas eleições autárquicas. O líder da secção de Figueira de Castelo Rodrigo quer ambém promover ações em todos os concelhos e descentralizar as reuniões da Distrital para «dar voz aos militantes».

Criar o documento “Interiori-dade não pode ser inferioridade”, com os contributos de diferentes especialistas, é outra medida proposta para o mandato com o objetivo de «implementar um arrojado plano de coesão territo-rial e demográfico que possa dar um importante impulso para os próximos programas eleitorais», disse Carlos Condesso na apre-sentação da sua lista. O candidato quer também encontrar um espa-ço «mais amplo, funcional e com mais visibilidade» para a sede distrital. «Se ganharmos, vamos reivindicar o que foi prometido pelo PS na campanha eleitoral e que até agora nada se realizou, à boa maneira socialista», criticou o social-democrata, para quem o PS local «não é ouvido, está em estado vegetativo, de falência, e não tem capacidade de reivin-dicar. Está amorfo e até mesmo os que por cá se sentem doutos em fazer política não passam de meros comentadores de bancada impreparados para fazer ou dar o melhor de si ao distrito».

Sobre o autor

Fátima Santos

Deixar uma resposta