Política

Alexandre Lote com via aberta na Federação do PS da Guarda

Escrito por Luís Martins

José Albano Marques garante que não houve «negociação ou exigência para quaisquer lugares federativos ou na Segurança Social» para desistir da candidatura

Alexandre Lote tem o caminho desimpedido para assumir a presidência da Federação do PS da Guarda. Na sexta-feira, José Albano Marques desistiu da corrida e manifestou apoio ao vice-presidente da Câmara de Fornos de Algodres para «evitar um confronto duro e de profundas ruturas» entre as duas candidaturas.
O golpe de teatro deu origem a uma conferência de imprensa conjunta na sede do partido, na Guarda, onde o presidente da concelhia de Celorico da Beira e antigo dirigente federativo justificou que houve «entendimento sem interferência de ninguém» e «em função dos interesses» do partido. «Estaríamos a prejudicar o PS se houvesse duas listas», considerou José Albano Marques, que liderou a Federação de 2008 a 2016. O vereador da Câmara de Celorico da Beira acrescentou também que esta saída de cena visa possibilitar a Alexandre Lote «o espaço para a construção de um projeto de união, na certeza de uma grande vitória» nas autárquicas de 2021. Segundo o dirigente celoricense, houve «diálogo» e «convergência» para unir o partido e «torná-lo ainda mais forte» no distrito: «Quando o PS ganha, ganhamos todos. Esta união é uma vitória de todos os militantes», afirmou ainda, colocando desde já a fasquia bem alta nas próximas autárquicas. «Seremos, em 2021, a grande força autárquica do distrito, superando, certamente, as atuais sete presidências de Câmara», augurou.

Aos jornalistas, José Albano Marques garantiu também que não houve «negociação ou exigência para quaisquer lugares federativos ou na Segurança Social» para desistir da candidatura. O mesmo declarou Alexandre Lote, para quem a decisão não dará origem a «uma fusão de listas ou de candidaturas» e «muito menos será a resposta a qualquer exigência ou cedência». No entanto, o agora candidato único, que, em 2018, perdeu com Pedro Fonseca à segunda volta, assumiu sentir-se «muito mais confortável» com esta desistência e reiterou também que o entendimento resulta de «um enorme ato de ponderação das duas candidaturas no respeito e na defesa dos superiores interesses do PS». Para o vice-presidente da Câmara de Fornos de Algodres, «esta união é um ponto de partida extremamente importante para o objetivo da vitória nas autárquicas de 2021», eleições onde, a nível distrital, quer «ter mais votos, mais Câmaras e mais mandatos». De resto, Alexandre Lote manifestou, desde já, apoio a uma eventual candidatura de José Albano Marques em Celorico da Beira.

Nessa noite, o fornense de 36 anos apresentou oficialmente a sua candidatura numa sala repleta na sede distrital. Na ocasião, o candidato afirmou que quer «construir uma Federação assente em três pilares: respeitar a matriz do PS; fomentar a proximidade e abrir o partido à sociedade; e criar um projeto vencedor nas próximas autárquicas». Alexandre Lote anunciou também que Rita Cunha Mendes, atual secretária de Estado da Ação Social, é a mandatária da candidatura, enquanto António Miguel Carvalho, chefe de gabinete do presidente da Câmara de Manteigas, Esmeraldo Carvalhinho, será o diretor de campanha. As eleições estão marcadas para 13 de março e o prazo para entrega das listas termina esta quinta-feira.

Sobre o autor

Luís Martins

Leave a Reply

Financiamento