Cultura

Guarda é cenário do telefilme “Quando o Diabo Reza”

Dsc 2108
Escrito por Carina Fernandes

Filmagens já começaram no centro histórico da cidade mais alta e vão decorrer durante duas semanas

O telefilme “Quando o Diabo Reza”, realizado por Fabiana Tavares, está a ser gravado na cidade da Guarda durante duas semanas.

A produção integra um projeto inédito da RTP, denominado “10 livros. 10 telefilmes. 10 realizadoras”, no âmbito do qual cada filme será gravado em dez cidades diferentes do centro do país. «Esta região conferia uma identidade ao projeto e pareceu-nos que ia dar personalidade. E a Guarda é uma cidade emblemática da zona Centro e, quando viemos visitar, achámos que teria potencial», justifica Pandora da Cunha Teles, produtora do telefilme e uma das autoras do projeto “Contado por Mulheres”. “Quando o Diabo Reza” é baseado no livro homónimo de Mário de Carvalho, porém adaptado às características da cidade mais alta, para tornar a história «muito mais próxima da Guarda do que quando foi escrita pelo Mário de Carvalho, que na altura não pensou nisso», acrescenta a responsável.

Os elementos característicos da cidade que estarão evidentes no telefilme e darão «identidade e proximidade à Guarda» são a gastronomia e a cultura: «Uma das filhas do Severo, uma das personagens, faz mantas e sapatos de trapos. Também tentámos criar dois universos: o Severo e as filhas circulam mais pelo centro histórico e estes três vagabundos movimentam-se mais por zonas cheias de arte urbana», exemplifica Pandora da Cunha Teles. Apesar das potencialidades que a cidade tem, a produtora considera que as mesmas ainda não têm a visibilidade que merecem. «Antes de nós lançarmos uma história ou personagens, lançamos um mundo. E acho que a Guarda está pouco explorada no imaginário português cinematográfico e audiovisual», sublinha.

Quanto a projetos futuros, Pandora da Cunha Teles prevê que a Guarda possa ser uma boa aposta para a realização de novas produções porque «sentimo-nos extremamente bem recebidos quer pelas pessoas na rua, quer nos espaços (…), e isto vale tudo. Acho que existem sítios escondidos que são joias que vale a pena descobrir. E o nosso papel enquanto criadores é procurar aquilo que está escondido e mostrá-lo ao grande público», consolida a produtora. O telefilme vai ser exibido em horário nobre na RTP 1 no próximo ano. As restantes produções também serão exibidas na televisão pública e em plataformas de “streaming” por toda a Europa.

Sobre o autor

Carina Fernandes

Leave a Reply

Financiamento