Sociedade

Serviços de oito autarquias do distrito da Guarda com adesão entre 60 e 100 por cento à greve da função pública

Escrito por Luís Martins

A greve dos funcionários públicos está a afetar esta sexta-feira vários serviços no distrito da Guarda.

Segundo a Direção Regional da Guarda do Sindicato dos Trabalhadores da Administração Local (STAL), a paralisação está a fazer sentir-se nos municípios, com destaque para a Câmara de Seia onde «cem por cento» dos funcionários dos serviços de Eletricidade, Transportes Urbanos e de Controlo de Qualidade da Água aderiram. Entre os motoristas do município senense a adesão é de «90 por cento e de 65 por cento no setor operacional geral».

Na Guarda, 99 por cento dos trabalhadores do serviço de águas e outros operacionais da autarquia estão em greve, de acordo com o STAL, que indica uma adesão de 60 por cento nos estaleiros do município de Gouveia e de 90 por cento nos Serviços Externos da Câmara de Manteigas. Na Mêda, o sindicato fala numa adesão de 100 por cento na escola secundária local.

A greve da função pública terá ainda impacto nos sectores da saúde, educação e finanças, podendo levar ao encerramento de escolas e deixar lixo por recolher, segundo as estruturas sindicais que convocaram esta paralisação nacional. A paralisação começou por ser marcada pela Frente Comum de Sindicatos da Administração Pública (CGTP), há cerca de um mês, na expectativa de que o Governo ainda apresentasse uma proposta de aumentos generalizados para a função pública, o que não veio a concretizar-se.

A Federação Sindical da Administração Pública (FESAP) e a Federação Nacional da Educação (FNE), filiadas na UGT, marcaram dias depois greve para a mesma data, pelos mesmos motivos.

 

 

Sobre o autor

Luís Martins

Leave a Reply

Financiamento