Sociedade

Sérgio Costa quer a Guarda uma «cidade mais “smart”»

822 Guarda
Escrito por Efigénia Marques

Desafio foi assumido nas comemorações do Dia da Cidade, onde o presidente da Câmara revelou que vai criar um plano de modernização tecnológica

A Guarda comemorou, no sábado, os 822 da atribuição do foral por D. Sancho I. A efeméride foi aproveitada pelo presidente da Câmara para anunciar que quer criar uma «cidade mais “smart”» e que a Guarda quer ser «líder no campo da logística».
Na sessão solene, Sérgio Costa disse que «o problema» é a «despromoção» do interior e reiterou que a Guarda «quer ser líder no campo da logística» devido à sua «perfeita» localização geográfica e à criação do novo curso de logística no Instituto Politécnico da Guarda (IPG). O edil assumiu ainda que pretende «criar um plano de modernização tecnológica para transformar a Guarda numa cidade mais “smart” para atrair empresas tecnológicas, bem como os “nómadas digitais”, e fomentar a criação de novos postos de trabalho». O autarca garantiu também que a Guarda «quer ser um território amigo do emprego e com possibilidade de dar futuro sustentável às famílias que querem aqui construir futuro». Para tal, será necessária a criação de um gabinete de apoio para alocar quem «queira fixar a sua empregabilidade e residência» na cidade mais alta e no concelho, acrescentou.
Contudo, Sérgio Costa afirmou que para estes projetos serem uma realidade terá de haver mudanças significativas: «O elevado preço das portagens veio afastar economicamente aquilo que a A25 deveria tornar mais fácil, mais rápido e mais seguro. A coesão territorial não será uma realidade enquanto não houver uma discriminação positiva mais forte nestes custos», defendeu, referindo ainda que «a aposta nos territórios de baixa densidade passa por criar atratividade em relação à componente fiscal, seja para as empresas ou para as pessoas», de forma a fixar pessoas no território. José Relva, presidente da Assembleia Municipal, também discursou e referiu que os serviços de saúde são motivo de preocupação, declarando que «não iremos exigir serviços que respondam a tudo, mas temos direito a serviços que respondam a necessidades básicas da população».
Já Ana Mendes Godinho, ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, afirmou que a Guarda «tem de ser um exemplo do que podemos fazer do interior para o mundo» e voltou a garantir que o projeto do porto seco é uma «ambição conjunta» com o Governo. «Este é um momento de grande esperança e conto imenso com a Guarda para ser um exemplo para o mundo do que este novo mundo digital traz de oportunidades», disse a governante. Este ano coube a Álvaro Guerreiro, advogado e antigo presidente da Câmara da Guarda, fazer o elogio à Guarda. As comemorações prosseguiram pela tarde com uma homenagem, a título póstumo, ao antigo deputado municipal do PSD Tiago Gonçalves, que é agora nome de uma praça em Vila Mendo, e com a ligação da iluminação de Natal. Durante a manhã, nos Paços do Concelho foram descerradas as fotografias dos antigos presidentes da Câmara, Álvaro Amaro e Carlos Chaves Monteiro, bem como da presidente da Assembleia Municipal, Cidália Valbom. Foi também inaugurada uma exposição dos alunos da Guarda sobre D. Sancho, o foral e a cidade.

 

Bispos da Guarda, Viseu e Aveiro homenageados

O Dia da Cidade ficou ainda marcado pela homenagem aos bispos da Guarda, Viseu e Aveiro, respetivamente D. Manuel Felício, D. Luciano Costa e D. António Moiteiro, por se «distinguiram pela defesa da solidariedade», justificou o presidente do município.
«Muito feliz» com o reconhecimento, D. António Moiteiro disse que se assume como cidadão da Guarda, onde viveu mais de 40 anos. «Já era cidadão da Guarda de coração, mas agora já é documental», afirmou o prelado, enquanto D. Luciano Costa declarou estar «muito contente» com a distinção e alertou que «é preciso que a Guarda comece a manter os seus jovens por cá para sair deste marasmo». Quanto a D. Manuel Felício, considerou que «esta não é uma homenagem para mim, mas sim para todos os que comigo trabalham, que colaboram para a grande causa de ir ao encontro dos que mais precisam». Como é habitual, a autarquia homenageou vários funcionários que se aposentaram ao longo deste ano.

Sobre o autor

Efigénia Marques

Leave a Reply

Financiamento