Sociedade

«Há um certo irritante da Saúde com a Guarda», diz Álvaro Amaro

Escrito por Luís Martins

Na segunda-feira maioria e oposição convergiram na reunião da Câmara da Guarda em torno dos problemas da Unidade Local de Saúde (ULS), que deverá sofrer uma redução de 14,9 milhões de euros no seu orçamento para 2019.

O alerta foi lançado por Álvaro Amaro no período de antes da ordem do dia. O edil disse-se «preocupado» com esta «redução terrível» e tocou a rebate, pois isto significa, na sua opinião, que «a desgraduação» do Hospital Sousa Martins está em marcha. «Há um certo irritante da Saúde com a Guarda», insistiu, apelando à luta dos cidadãos, dos profissionais e dos responsáveis políticos pelas valências da ULS. «É hora de todos dizermos basta porque algo está em marcha para a destruir», avisou Álvaro Amaro, que está disponível para financiar um estudo que identifique «o que queremos na Guarda na área da saúde».

Eduardo Brito partilha das preocupações do presidente social-democrata, mas «não alinha» na ideia de haver uma estratégia para desgraduar hospital. Contudo, admitiu que o Governo tem que «esclarecer o posicionamento que a ULS deve ter no “campeonato” da saúde», enquanto a administração hospitalar também «deve clarificar a situação para tranquilizar os cidadãos».

Sobre o autor

Luís Martins

Deixar uma resposta