Sociedade

CDS-PP preocupado por Hospital da Guarda não ter vagas para especialidades carenciadas

Escrito por Luís Martins

O CDS-PP da Guarda está preocupado por o Ministério da Saúde não abrir vagas para as especialidades carenciadas do Hospital Sousa Martins no mais recente concurso médico para a carreira hospitalar.

«No caso da região da Guarda, são do conhecimento público as carências ao nível, entre outras, de especialidades como Cardiologia, Ortopedia, Radiologia, Gastrenterologia, Otorrinolaringologia, Urologia e Oftalmologia, para além das insuficiências do quadro de pessoal de enfermagem», refere a distrital centrista em comunicado, divulgado esta segunda-feira.

A estrutura liderada por Henrique Monteiro recorda que das 57 vagas abertas na região Centro, apenas seis são para o hospital guardense, que integra a Unidade Local de Saúde. «Estas vagas não são suficientes para cobrir as necessidades em Cardiologia, Ortopedia e Cirurgia e deixam de fora outras especialidades deficitárias, como é o caso de Oftalmologia, Gastroenterologia e Radiologia, para além de impedir que os médicos que terminaram aqui a sua especialidade em Medicina Interna e Psiquiatria continuem no Hospital Sousa Martins, como era sua vontade», considera o CDS-PP.

Para os centristas, face ao «manifesto desinteresse» do Governo pelas pessoas que vivem no distrito, será de recear que «não haja futuro para o Hospital Sousa Martins e que esteja em curso o seu esvaziamento em nome de interesses que não são os legítimos interesses dos utentes». E questionam se a nova ministra da Saúde, Marta Temido, «é desconhecedora das carências do Hospital Sousa Martins ou estará também ela já cativa do ministro das Finanças Mário Centeno?».

Sobre o autor

Luís Martins

Deixar uma resposta