Sociedade

Acidentes com máquinas agrícolas diminuem no distrito da Guarda

Trator
Escrito por Efigénia Marques

O tema do último programa “A Guarda Aconselha”, uma parceria entre a Rádio Altitude e o Comando Territorial da GNR da Guarda, foi tratores agrícolas e a sua utilização.
Ao longo da meia hora de emissão o Cabo Mor Antoninho Nunes, do Destacamento de Trânsito, falou de que forma este tipo de veículos devem ser manobrados, quem o pode fazer e quais as condições de utilização dos mesmos na via pública. Pois, a sinistralidade com máquinas agrícolas e florestais tem aumentado a nível nacional. Em 2021, a GNR contabilizou um total de 51 mortes em acidentes com tratores, mais cinco que em 2020, sendo que a maioria das vítimas tinham entre 65 e 80 anos. Já no distrito da Guarda o número de vitimas mortais diminuíram: em 2020 morreram três pessoas em acidentes com máquinas agrícolas, enquanto que em 2021 morreu uma pessoa. Em relação aos acidentes também houve uma diminuição de 64 para 16 acidentes em 2021.
Para de alguma forma a sinistralidade começar a diminuir, a 8 de janeiro de 2021, foram introduzidas alterações ao código da Estrada no que toca a estes veículos uma delas passa pela «obrigação de instalação de equipamento de proteção em caso de capotagem, o chamado arco de segurança ou santo António», também o conhecido pirilampo é obrigatório e «tem de estar visível num ângulo de 360º e pelo menos a 100 metros». O incumprimento destes critérios incorre numa coima que pode ir até aos 1.250 euros.
Mas apesar destas condições de segurança existem outros fatores que podem originar acidentes com este tipo de veículos. «As causas andam sempre à volta do excesso de confiança, da idade e do cansaço. O excesso de confiança porque algumas pessoas conduzem este tipo de veículos há 50 ou 60 anos e ao longo do tempo vai-se criando auto-confiança em si próprio e portanto são máquinas perigosas», explica o Cabo Mor Nunes.

Sobre o autor

Efigénia Marques

Leave a Reply

Financiamento