Região

Ordem dos Médicos diz que há «vontade política em encerrar o Hospital da Guarda»

O presidente da Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos disse hoje que há «uma vontade política de encerrar serviços e o Hospital da Guarda».

Carlos Cortes falava aos jornalistas no final de uma reunião com os diretores de serviço do Hospital Sousa Martins, que decorreu na delegação da Ordem na Guarda e serviu para fazer o ponto da situação sobre os problemas daquela unidade de saúde.
«Encontrei médicos altamente preocupados e revoltados com a situação do Hospital da Guarda. Alguns deles expressaram mesmo a sua preocupação com a vontade política do Ministério encerrar esta unidade, o que seria obviamente desastroso para os habitantes do distrito», disse aquele responsável.
Durante o encontro, Carlos Cortes foi confrontado com a falta de recursos humanos e da existência de equipamentos «obsoletos». «Falou-se também da tentativa de encerramento de alguns serviços ou de serviços que são altamente deficitários e que funcionam com grandes dificuldades, como a Radiologia e a Cardiologia», exemplificou o presidente da Secção do Centro da Ordem dos Médicos. Saiba mais na próxima edição de O INTERIOR.

Sobre o autor

Luís Baptista-Martins

Deixar uma resposta