Região

Lotes de Área de Acolhimento Empresarial de Trancoso custam 2 euros o metro quadrado

Escrito por Luís Martins

«Este espaço é o mais inequívoco dos sinais que a Câmara quer dar todas as condições aos empresários», disse Amílcar Salvador

Com a abertura da Área de Acolhimento Empresarial, «investir em Trancoso é uma decisão sustentada e de futuro», garante o presidente do município. A nova zona industrial, com 15 lotes de terreno infraestruturados e onde o metro quadrado custa dois euros, foi inaugurada na sexta-feira pela ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa.
Na cerimónia, a governante considerou que «o combate ao despovoamento do interior pode começar com uma zona empresarial com 50 mil metros quadrados. Venham as empresas!», desafiou Ana Abrunhosa, aludindo às medidas de apoio ao investimento e à criação de emprego nos territórios de baixa densidade aprovadas na véspera pelo Governo. «Tudo faremos para que as oportunidades cheguem porque se o país não cuida do interior, então não está a cuidar de si», sublinhou. Reconhecendo que «um ministro não faz o que quer, faz o que pode», a ministra da Coesão Territorial voltou a pedir o apoio «de todos» para «mudar mentalidades em Lisboa e no interior» porque é preciso «aproveitar as oportunidades e as medidas aprovadas pelo Governo para desenvolver esta região».
A “jogar em casa”, Ana Abrunhosa, natural do concelho vizinho da Mêda, confidenciou também que uma das suas «alegrias» na juventude era «vir à feira de Trancoso», cidade que tem «um dinamismo próprio», e assumiu um objetivo, o de trazer o ministro das Finanças, Mário Centeno, ao território. «Talvez a Trancoso», aventou. Já Amílcar Salvador elogiou Ana Abrunhosa porque, enquanto presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDRC), «acreditou em nós, empenhou-se e aprovou», em 2017, a candidatura desta Área de Acolhimento Empresarial em 2017. «Este espaço é o mais inequívoco dos sinais que a Câmara quer dar todas as condições aos empresários», disse o autarca.
A nova zona industrial fica no lugar do Crujeiro, junto à estrada municipal que liga Trancoso a Fiães, e ocupa 4,5 hectares. O projeto resulta de um investimento de 845 mil euros, comparticipados em 710 mil euros pelo Programa Operacional Regional do Centro – Centro 2020. A fase de candidaturas para ocupar dez dos 15 lotes disponíveis está a decorrer até 15 de abril, podendo concorrer empresários das áreas da indústria, armazenagem e logística, bem como de comércio e serviços. Os espaços têm áreas entre os 1.200 e 3.000 metros quadrados. De acordo com o Regulamento para Atribuição de Lotes, os critérios de ponderação que vão graduar as candidaturas são, por esta ordem, a criação líquida de postos de trabalho, o volume do investimento e a atividade económica a instalar.
O parque empresarial está totalmente coberto com fibra ótica de última geração, num investimento da Altice Portugal. «As empresas que aqui se instalarem estarão num patamar de maior competitividade, conseguindo condições de comunicação idênticas às de Lisboa ou Porto», garante a empresa de telecomunicações, cujo presidente executivo, Alexandre Fonseca, tem raízes familiares em Trancoso e também participou na cerimónia.

Sobre o autor

Luís Martins

Deixar uma resposta