Região

Leão vai ajudar a recuperar o lobo ibérico na região

Escrito por Jornal O Interior

Está em curso novo programa de cães de gado para proteger rebanhos e promover a coexistência com o lobo ibérico a sul do rio Douro

Leão, agora com quatro meses, é o primeiro filhote de Serra da Estrela a juntar-se ao programa de cães de gado do projeto “LIFE WolFlux”, que se destina a promover a coexistência dos rebanhos com o lobo ibérico e a promover a recuperação deste predador natural a sul do rio Douro.
A iniciativa é dinamizada pela Rewilding Portugal, uma associação privada de conservação da natureza sediada na Quinta da Maúnça, na Guarda, e o objetivo é «incorporar 100 cães com o gado existente na área do projeto», explica Sara Aliácar, técnica de conservação da associação. «Ao reduzir a predação dos lobos e, assim, promover a coexistência entre as pessoas e o lobo, o Leão e os cães que o seguirem contribuirão para a recuperação deste carnívoro, aumentando a estabilidade, a interação e a expansão territorial das alcateias já estabelecidas», acrescenta a responsável. Segundo a Rewilding Portugal, a subpopulação de lobo ibérico nesta região está numa posição precária devido «à perda de habitat, à baixa conectividade entre grupos e ao conflito com seres humanos». Também a falta de presas silvestres continua a prejudicar a recuperação desta espécie, que, na nossa região, depende «fortemente de gado doméstico para alimentação e representa mais de 90 por cento da dieta de algumas alcateias».
Por isso, é intenção do “LIFE WolFlux” reduzir a predação do lobo no gado, o que «só será totalmente eficaz se os lobos tiverem uma fonte alternativa de alimento». O projeto é financiado pela Comissão Europeia e cofinanciado pelo Endangered Landscapes Programme, sendo que a Rewilding Portugal está a trabalhar com a Universidade de Aveiro, a ATNatureza (Figueira de Castelo Rodrigo), a Zoo Logical e a Rewilding Europe para garantir presas silvestres suficientes para os lobos, nomeadamente através do aumento das populações de corços. Paralelamente, os promotores estão a dinamizar a introdução dos cães de gado, entre eles o Serra da Estrela, uma das raças caninas mais antigas da Península Ibérica. «Um pastor com cães Serra da Estrela pode proteger-se da predação de lobos com muito mais eficiência do que um que não os utilize», refere Sara Aliácar.
Para aderir ao novo programa de proteção de animais os pastores interessados devem primeiro solicitar os cães para iniciar o processo de incorporação, sendo que a Rewilding Portugal visitará depois o pastor para avaliar se o cão é realmente necessário. «Se for positiva, um cachorro de Serra da Estrela é entregue gratuitamente, assim como os serviços de seguro, alimentação e veterinário até o animal completar os 18 meses de idade, quando se considera que estará apto a realizar todas as suas funções», adianta a associação. Os cães são fornecidos pelo Grupo Lobo, uma ONGA portuguesa que trabalha para conservar os lobos ibéricos e o seu habitat e que dará apoio no treino destes cães. A Rewilding Portugal também planeia distribuir vedações aos pastores, em áreas prioritárias, para permitir ainda mais a proteção dos seus rebanhos e manadas.

Sobre o autor

Jornal O Interior

Deixar uma resposta