Região

Guarda domina candidaturas às “7 Maravilhas da Cultura Popular”

Escrito por Jornal O Interior

A cestaria fina de Gonçalo (Guarda), o cobertor de papa de Maçaínhas (Guarda), a Festa da Amendoeira em Flor e dos Patrimónios Mundiais (Vila Nova de Foz Côa), a Festa da Transumância e dos Pastores (Seia), o Julgamento e Morte do Galo (Guarda), a Festa de Nª Srª de Assedasse (Gouveia) e as tesouras de tosquia de Mateus Filipe Miragaia (Jarmelo, Guarda) são os sete candidatos do distrito da Guarda às “7 Maravilhas da Cultura Popular”.
A escolha do painel de especialistas foi conhecida no domingo, dia em que também foram divulgados os finalistas do distrito de Castelo Branco, entre eles o Criptojudaismo de Belmonte, a Feira de São Tiago (Covilhã), os Chocalhos – Festival dos Caminhos da Transumância (Fundão). Há sete categorias a concurso – “Artesanato”, “Lendas e Mitos”, “Festas e Feiras”, “Músicas e Danças”, “Rituais e Costumes”, “Procissões e Romarias” e “Artefactos” – e o objetivo é avaliar o valor de «cada manifestação cultural, enquanto afirmação distintiva do seu território», adianta a organização. As 140 tradições candidatas vão agora participar nas eliminatórias regionais que servirão para apurar as 20 finalistas, uma por distrito mais ilhas.
A gala final, onde serão eleitas as “7 Maravilhas da Cultura Popular”, irá acontecer no dia 5 de setembro. A nona edição deste concurso quer promover o Património Cultural Imaterial de Portugal e quer elevar a cultura popular «a um patamar de causa pública e de atração turística». Foram recebidas 504 candidaturas, tendo o Conselho Científico, composto por sete elementos de cada distritos e dois das regiões autónomas, nomeado as 471 de onde saíram as 140 que vão às eliminatórias regionais.

Sobre o autor

Jornal O Interior

Leave a Reply

Financiamento