Especial Pinhel - Feira das Tradições

Feira das Tradições comemora bodas de prata com programa intenso

Escrito por Jornal O Interior

Considerado o maior certame de Inverno na Beira Interior, a Feira das Tradições acontece entre sexta-feira e domingo Gordo no Centro Logístico de Pinhel. Este ano o evento completa 25 anos de existência.

Desde 1996 que a Feira das Tradições e das Atividades Económicas tem vindo a crescer e a afirmar-se no contexto regional, atraindo anualmente cerca de 55 mil visitantes.
A definição de um tema para cada edição e a aposta na divulgação das gentes e tradições locais, a par da abertura do certame a agentes económicos de diferentes áreas e proveniências geográficas, são alguns dos aspetos diferenciadores desta atividade que, em 2020, assinalará também os 250 anos da elevação de Pinhel à categoria de cidade, data igualmente associada à criação da Diocese em 1770. Por isso, o tema desta edição histórica é “Pinhel e a Feira das Tradições – 250 anos de História, 25 anos de Emoções”.

À semelhança das últimas edições, participam cerca de 200 expositores, distribuídos por diferentes espaços – primeiro as freguesias do concelho, onde assumem natural destaque os saberes e sabores locais, depois uma vasta panóplia de atividades económicas onde não faltam representações de todo o país.

Finalmente, há uma grande área de “tasquinhas” para dar expressão à gastronomia regional. Será neste setor da feira que terão lugar os espetáculos musicais de relevo e a atuação de DJ’s noite dentro.

Como sempre, a Feira das Tradições começa sexta-feira (a partir das 14 horas) com o tradicional desfile de Carnaval alusivo ao tema desta edição. Pelas ruas da cidade vão circular carros alegóricos acompanhados de cerca de 1.200 participantes oriundos das escolas e jardins de infância do concelho (alunos, professores e auxiliares), bem como de instituições como a ADM Estrela – Residência Léa Nobre, a Quinta do Pezinho e a Universidade Sénior. A abertura do certame está marcada para as 18 horas, no Centro Logístico, e contará este ano com a presença da Ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa.

Paralelamente a estas atividades o cartaz musical contempla os concertos do duo Anjos (esta sexta-feira), dos Expensive Soul (sábado) e Richie Campbel (domingo). De sexta a domingo estão ainda previstas as atuações de grupos locais de música tradicional e popular nos vários espaços da feira. De resto, o Palco Freguesias acolhe no domingo, a partir das 15 horas, o festival “A Nossa Música, A Nossa Cultura” protagonizado pelo Grupo de Bombos São Bernardo (Quintã dos Bernardos) e pelos grupos de concertinas do CDEP (Pinhel), do Safurdão, de Freixedas, da Casa Povo de Pinhel, de Alverca da Beira e de Vascoveiro. A tarde contará ainda com a atuação do Rancho Folclórico A Flor do Campo, de Souropires.

Como habitualmente, realiza-se no sábado, a partir das 14h30, um colóquio sobre o tema da 25ª edição do certame e os eventos como forma de promoção regional. O historiador José Coelho Ferreira e Jorge Sobrado, vereador da Câmara de Viseu e diretor da Feira de São Mateus, são os oradores convidados. Antes disso, serão entregues os prémios do Concurso de Fotografia “Objetiva Pinhel”, também dedicado ao tema “Pinhel e a Feira das Tradições – 250 anos de História, 25 anos de Emoções”.

Um concelho e uma região em cerca de 12 mil metros quadrados cobertos


A 25ª edição da Feira das Tradições, tem cerca de 12 mil metros quadrados de área coberta no Centro Logístico de Pinhel. A tenda reservada às freguesias tem 2.500 metros quadrados e acolhe os stands das diferentes aldeias do concelho, que divulgam as suas localidades, apresentam os seus artesãos e, nalguns casos, as associações locais. Esta zona tem um palco por onde vão passar artistas e grupos locais, como as bandas filarmónicas, a Academia de Música e o grupo Trovas da Beira, entre outras propostas. É, por excelência, a área de promoção da identidade cultural do concelho e de encontro de pessoas, pois há por ali tradições artesanais e gastronómicas do concelho, como os coscoréis, o pão caseiro, os licores e os doces, entre outros. Há ainda espaço para dois convidados institucionais, o Ayuntamineto de Guijuelo e o Clube Escape Livre.

Os convidados institucionais de Portugal e Espanha ocupam 500 metros quadrados para divulgar os seus recursos e soluções. Estão presentes os Ayuntamientos de Salamanca, Bejar, Hinojosa de Duero, mas também o Instituto Politécnico da Guarda (IPG), a Associação de Municípios da Cova da Beira (AMCB), o Turismo do Centro, os Territórios do Côa, entre outros. Esta zona institucional acolhe também o Agrupamento de Escolas de Pinhel, com uma mostra das suas valências, e a promoção do projeto da futura Falcoaria de Pinhel, com demonstrações ao vivo e contacto com os animais.


No pavilhão reservado aos serviços e empresas, de 2.100 metros quadrados, estão presentes cerca de uma centena de expositores de toda a região Centro e Norte. Já o pavilhão dos Saberes e Sabores, de 2.100 metros quadrados, reúne tudo o que diz respeito à gastronomia, saberes, sabores, vinhos, doçaria e demais produtos de cariz alimentar, num total de 70 espaços de exposição onde será possível degustar e provar iguarias locais. Há também áreas de descanso e lazer.
Segue-se o pavilhão das tasquinhas, com 3.000 metros quadrados ocupados por oito restaurantes e 13 bares. No total, a área da restauração tem capacidade para mais de 600 pessoas. É aqui que fica também o palco principal da Feira das Tradições, onde vão atuar os Anjos, Expensive Soul e Richie Campbell, bem como DJ’s e grupos da região. A pensar nos mais novos, o certame dispõe ainda de uma “Fun Zone” com jogos eletrónicos, de mesa e matraquilhos. Esta área será dinamizada por técnicos de Desporto do Município de Pinhel. Por último, os visitantes podem ainda contar com um espaço dedicado ao livro, onde será possível adquirir obras de vários autores e temáticas.

Sobre o autor

Jornal O Interior

Deixar uma resposta