Publicidade

5 Tipos de Pessoas nas Comunidades de Jogo Online

Vitoria
Escrito por Efigénia Marques

A virtualidade da Internet veio aproximar pessoas de todas as nacionalidades, idades e “tipos” em espaços comunitários online, onde o fator determinante é invariavelmente um gosto ou uma paixão comum. 

A estes espaços dá-se o nome de comunidade de jogo online, e Vitória Oliveira revela-nos elucidativamente os 5 tipos de pessoas que podemos encontrar nelas, em particular nas que reúnem mais portugueses, isto é, nas de casino online e apostas desportivas. 

Casino Online – Das Comunidades de Jogo Mais Expressivas

Em Portugal, não há qualquer dúvida que os sites de jogos de azar, lotaria e casino possuem das comunidades de jogo mais expressivas do mundo. 

Não importa se é a torcer na bancada ou à porta dos estádios, a jogar raspadinha online, cartas ou bingo, ou a fazer apostas desportivas online, onde há portugueses há barulho e também animação. 

Nacionalismos à parte, as comunidades são essenciais para promover o debate, esclarecer dúvidas e passar informação de forma transparente, e são espaços onde se pode ajudar ou ser ajudado. 

Para além disso ajudam as marcas e os operadores a melhorar os seus serviços e qualidade, uma vez que recebem um feedback mais elaborado e fiável dos seus utilizadores. 

Mas vamos então aos tipos!

 

O curioso

Quem começa a jogar e apostar online ou offline, começa normalmente por curiosidade, por exemplo com factos interessantes e a história do jogo online. Daí que normalmente o tipo de utilizador curioso de qualquer comunidade de jogo online em Portugal seja um principiante nas andanças. 

Pode ser mais ou menos falador, ou fazer uma ou inúmeras perguntas. Apesar de à partida as comunidades apoiarem os seus utilizadores, por vezes também são implacáveis para os novatos, de forma a “separar o trigo do joio”. 

Por isso a recomendação de base para qualquer pessoa sem experiência numa comunidade online seja ler as regras internas e todas as perguntas e tópicos publicados anteriormente. 

 

O sabe-tudo

Há sempre “sabichões”, especialmente online. Não há mal nenhum em “saber tudo”, mas a forma como tendem a se expressar e comunicar nas suas comunidades leva frequentemente a discussões arrebatadas e a tópicos encerrados antes do tempo. 

Também deixam por vezes os outros utilizadores frustrados, por serem afastados de participar ou por se terem sentido “atacados”. 

No entanto, é bom deixar claro que também existem muitos jogadores e apostadores que sabem tudo e são muito respeitados. Alguns acabam por ser “promovidos” para gestores da comunidade ou para “tipsters profissionais de apostas”, só para deixar um par de exemplos. 

É normal detetá-los pelo número mais alto de publicações, seguidores, etc. 

 

O lúdico

O jogador ou apostador lúdico está exatamente no espectro oposto do tipo compulsivo, embora muitos dos jogadores viciados começam como utilizadores lúdicos e despreocupados. 

Geralmente visita e participa em várias comunidades com frequência, pois é um tipo de pessoa mais relaxada e/ou mais sociável, que não abdica do aspecto social do jogo. As suas interações nas comunidades de jogo tendem a ser positivas e motivantes, bem como informativas da perspetiva do jogador. 

Partilham os jogos que mais apreciam, incluindo novidades e futuros lançamentos, bem como dicas e estratégias para jogos populares existentes. 

 

O compulsivo

O compulsivo, é muitas vezes confundido, incorretamente, com o viciado. A grande diferença é que a compulsão é algo que pode vir a concretizar-se ou nunca chegar a realizar-se, tudo depende do grau de controlo de cada jogador e das próprias características da compulsão. 

O SRIJ (Serviço de Regulação e Inspeção de Jogos) disponibiliza diversas opções para ajudar a proteger os apostadores e jogadores nacionais, principalmente aqueles que sentem ter alguma predisposição para comportamentos de adição. 

 

O viciado

A principal característica do jogador viciado é dificilmente ter tempo para qualquer atividade ou obrigação diária doméstica, familiar, profissional e/ou pessoal que não esteja diretamente relacionada com o jogo ou as apostas.

Uma pessoa com um vício de jogo pode estar mais ou menos ciente do facto, e pode estar num estágio inicial ou avançado.

Quer para o jogador ou apostador compulsivo quer para o viciado, as comunidades de gaming online podem ser verdadeiras salva-vidas. 

São partilhadas referências atualizadas para sites informativos e para instituições de aconselhamento e tratamento particularmente úteis, como o SICAD (Serviço de Intervenção nos Comportamentos Aditivos e nas Dependências); sem esquecer que se fala e conhece pessoas em situações ou com dificuldades semelhantes.

Sobre o autor

Efigénia Marques

Leave a Reply