Política

PSD mantêm maioria das Câmaras no distrito

Montagem
Escrito por Efigénia Marques

Apurados os resultados das autárquicas de 2021, o balanço é bastante positivo para o PSD no distrito da Guarda.
Se no concelho da Guarda os sociais-democratas perderam a autarquia, no resto da região assegurou a maioria da presidência das Câmaras Municipais, com oito autarquias. Já o PS apenas conseguiu conquistar três. As listas independentes ganham cada vez mais terreno no distrito, conseguindo três edilidades. Ao longo da noite eleitoral houve algumas surpresas, nomeadamente a derrota de Esmeraldo Carvalhinho (PS) em Manteigas para o movimento independente “Manteigas 2030”, liderado por Flávio Massano. O mesmo aconteceu na Mêda, onde a coligação PSD/CDS-PP, de João Mourato, venceu Anselmo Sousa (PS). Já Carlos Condesso (PSD) acabou, à segunda tentativa, com a governação de Paulo Langrouva (PS) em Figueira de Castelo Rodrigo.
Como líder da distrital social-democrata, Carlos Condesso considera que o PSD teve «um excelente resultado no distrito, que voltou, felizmente para as populações, a estar pintado de laranja». Ao contrário do PS, que se «afunda cada vez mais e foi «o grande derrotado» destas autárquicas, constata. Quanto à derrota da candidatura de Carlos Chaves Monteiro (PSD) na Guarda, o líder distrital não esconde que as expectativas eram outras: «Obviamente que não ficávamos muito satisfeitos que o PSD tivesse ganho. Mas honra aos vencidos e parabéns aos vencedores. Mas, no geral, o PSD está de parabéns e as pessoas disseram nas urnas que querem autarcas do PSD à frente dos destinos da maior parte das autarquias porque acreditam neles», concluiu Carlos Condesso.
Já Alexandre Lote, líder da Federação do PS da Guarda, em declarações a O INTERIOR, não escondeu a desilusão. «O resultado não foi o que esperávamos e muito menos a perda das três Câmaras de Figueira, Manteigas e Mêda. Na Guarda foi de facto um mau resultado para o Partido Socialista», lamenta o dirigente distrital. Perante este descalabro eleitoral, Alexandre Lote recusa em falar «na possibilidade de colocar o lugar à disposição», porém garante que, «enquanto presidente da Distrital, assumirei as minhas responsabilidades no âmbito dos resultados eleitorais».

Sobre o autor

Efigénia Marques

Leave a Reply

Financiamento