Política

Chaves Monteiro anuncia hospital privado na Guarda «dentro de dois anos»

Escrito por Luís Martins

Carlos Chaves Monteiro anunciou a instalação de um hospital privado na Guarda, que criará «90 novos postos de trabalho diretos e 200 indiretos».

A futura unidade de saúde vai surgir no terreno do antigo matadouro, no Bairro da Luz, «dentro de dois anos», garantiu o presidente do município e candidato do PSD à Câmara da Guarda.

Este foi um dos anúncios feitos esta sexta-feira pelo social-democrata numa sessão promovida no parque municipal. Perante inúmeros apoiantes, vários presidentes de Junta e muitos históricos do partido, Chaves Monteiro comprometeu-se também a apostar na melhoria da mobilidade urbana e reabilitar e construir habitações socias e para jovens, estas últimas a preços controlados no espaço da feira quinzenal. «São obras para começar em 2022», afirmou.

Chaves Monteiro alertou também que sem o PSD na Câmara «não haverá nem “cluster” automóvel, nem porto seco, nem fábricas da mobilidade elétrica, nem a terceira fase da plataforma logística. É isto que temos de explicar aos nossos concidadãos durante a campanha».

«Estamos a transformar a Guarda e vamos fazer mais e melhor», sublinhou o candidato. Por sua vez, Jorge Barreto Xavier, que concorre à Assembleia Municipal, afirmou que Chaves Monteiro é «o homem certo, no lugar certo, no momento certo». E avisou que «nenhuma comunidade que não sabe distinguir o principal do acessório pode desenvolver-se».

Já Carlos Condesso, líder da Distrital do PSD, destacou o papel do candidato no reequilíbrio das contas do município. «O teu trabalho está à vista de todos. Foi um trabalho enorme e hoje dá para pagar a tempo e horas aos fornecedores, dá para pagar obras e trazer investimento. Se ele não fizesse esse trabalho bem podiam os colegas do executivo prometer o que quer que fosse porque nada acontecia na Guarda. Mas aconteceu porque este homem equilibrou as contas da Câmara», afirmou o dirigente, para quem a Guarda «não quer retrocesso, quer progresso. Não quer mais dívida monstruosa, quer contas equilibradas para trazer mais desenvolvimento».

João Queiroz, antigo reitor da UBI e ex-diretor-geral do Ensino Superior, é o mandatário da candidatura, e José Carlos Alexandre, docente do IPG, o coordenador do programa eleitoral. Hugo Fernandes é o diretor de campanha e Pedro Nobre terá a responsabilidade da direção financeira, enquanto os jovens Cristina Faia e Alfredo Torres são os mandatários para o Futuro.

Saiba mais na próxima edição de O INTERIOR.

Sobre o autor

Luís Martins

Leave a Reply

Financiamento