Colesterol: um velho inimigo

Escrito por Cátia Reinas

O colesterol é um termo que relaciona vários outros – o colesterol total, (idealmente inferior a 190 mg/dL); o colesterol LDL (dito “mau colesterol”), que são as substâncias que transportam grande quantidade de colesterol desde o fígado, onde é produzido, para os tecidos (músculos e órgãos), para ser utilizado; e o colesterol HDL, que diz respeito a substâncias que transportam pequena quantidade de colesterol dos tecidos de volta para o fígado para ser eliminado. Este último é o grande agente de limpeza do organismo, no que toca ao colesterol, e é comummente chamado de “bom colesterol” – deve por isso estar presente em quantidades superiores a 35 mg/dL nos homens e 45 mg/dL nas mulheres, para que haja efeito protetor cardiovascular. Os triglicéridos são outro tipo de gorduras que, quando presente em grandes quantidades no sangue, aumenta o risco de eventos cardiovasculares e, por isso, tem um valor limite de 150 mg/dL.

Ora, o colesterol existe naturalmente no nosso corpo. O problema começa quando este se torna excessivo e causador de enfartes do miocárdio e Acidentes Vasculares Cerebrais.
O que contribui, então, para um colesterol elevado?

Se, por um lado, existem fatores de risco como a hereditariedade e a nossa idade, existem outros associados ao estilo de vida, que dependem de nós – por exemplo, o tabagismo, o sedentarismo e má alimentação.
Para reduzir o colesterol devemos aumentar o consumo de vegetais, garantindo que comemos duas a três peças de fruta por dia; além disso, deve-se aumentar o consumo semanal de peixes gordos e diminuir o consumo de carne, sobretudo a carne de bovinos, borrego e cabrito, preferindo as carnes brancas, como frango e peru (sempre retirando a pele e toda a gordura). Devemos incluir na alimentação frutos oleaginosos como nozes, amêndoas, amendoins e avelã, assim como leguminosas (ervilhas, feijão, lentilhas). Se preferirmos o azeite como principal fonte de gordura e evitarmos a ingestão de gordura de charcutaria, pastelaria e confeitaria, será ótimo, mas existem outros produtos processados a evitar, ricos em gordura “trans” e açúcar – bolachas, chocolates, snacks doces e salgados, molhos.
Para finalizar, só conseguiremos reduzir o colesterol se juntarmos o exercício físico regular, por mais breve que seja. Só nesse equilíbrio atingiremos um peso adequado e, mais do que restringir, devemos balançar as calorias que ingerimos com as que gastamos diariamente – será esse o truque do colesterol.

* Médica interna de Medicina Geral e Familiar na USF “A Ribeirinha”;
Orientadora: Dra. Ana Rocha

N.R.: A rubrica “ABC Médico” é da responsabilidade do grupo de Internato Médico da ULS da Guarda e pretende aumentar a literacia em saúde na área do distrito da Guarda. O objetivo desta coluna mensal é capacitar a comunidade a fazer parte integrante do seu processo saúde/ doença, motivando-a para comportamentos de vida saudáveis e decisões adequadas. Para tal, são escolhidos temas pertinentes que serão apresentados por ordem alfabética.

Sobre o autor

Cátia Reinas

Deixar uma resposta