Economia

Não há novas reduções de portagens em 2022

Dsc 9672
Escrito por Efigénia Marques

O Governo andou pelo país no fim de semana para apresentar o Orçamento de Estado de 2022 aos militantes do PS. Na Guarda a tarefa coube ao secretário de Estado dos Assuntos fiscais, António Mendonça Mendes, que assegurou o novo Orçamento responde à conjuntura atual, devolve rendimento às famílias e dinamiza o investimento. De fora ficam novas reduções das portagens.
«É um Orçamento que prossegue a política de devolução de rendimento às pessoas, baixando o IRS para as famílias da classe média e aumentando as pensões de forma extraordinária e com efeitos retroativos a 1 de janeiro. Continua também a apostar na recuperação do país por via dos investimentos do PRR, pelos incentivos fiscais às empresas para que possam investir. E é um Orçamento que aposta no reforço dos serviços públicos, nomeadamente na saúde, reforçando em 700 milhões de euros o SNS, e tem um programa de recuperação de aprendizagens na Educação de 900 milhões de euros», disse o governante na sessão realizada no auditório da antiga Junta de Freguesia de São Miguel, na Guarda-Gare.
António Mendonça Mendes confirmou que este ano não haverá mais reduções de portagens, mas, em contrapartida, as famílias e as empresas vão beneficiar da redução do Imposto sobre os Produtos Petrolíferos (ISP): «Desde novembro e até ao final de junho, temos 700 milhões em medidas de apoio ao nível da redução dos custos com os combustíveis. A descida acentuada do ISP vai beneficiar todos, incluindo os territórios do interior, porque nas áreas metropolitanas é mais fácil substituir o carro pelos transportes públicos, aqui não é assim», afirmou o secretário de Estado, acrescentado que o Governo vai rever o desconto do ISP no final de junho e avaliar «a melhor solução» a aplicar no futuro para minimizar o impacto da previsível subida dos preços dos combustíveis.

Sobre o autor

Efigénia Marques

Leave a Reply

Financiamento