Desporto

NDS é o clube do distrito com mais atletas inscritos

247123524 3056481064629368 7011429412577870267 N
Escrito por Efigénia Marques

Os 215 atletas do Núcleo Desportivo e Social, sediado na Guarda-Gare, estão distribuídos por oito escalões, incluindo o projeto do futebol feminino que conta dois anos e meio de existência

A Federação Portuguesa de Futebol (FPF) divulgou recentemente a lista dos 250 clubes, a nível nacional, com o maior número de atletas federados e, na posição 187 desta lista, está o Núcleo Desportivo e Social (NDS) da Guarda com 215 atletas inscritos.
Os dados divulgados identificam o NDS como o clube com mais atletas federados do distrito de Guarda e o único representante da Associação de Futebol da Guarda (AFG) nesta lista federativa. «Infelizmente somos o único. Gostaríamos que fossem muitos mais. Estamos nesta lista com 215 atletas, mas antes da pandemia chegámos a ter 246 inscritos. É um número do qual nos orgulhamos, principalmente numa altura em que atravessamos uma crise que já vai para três anos», sublinha o coordenador pedagógico do clube, Paulo Alves. O dirigente salienta que a missão fundamental da coletividade é a «promoção da atividade física e desportiva e, nesse contexto, temos a certeza de que esta confiança em nós depositada, só reforça o sentido de responsabilidade com que encaramos o trabalho que desenvolvemos».
Paulo Alves destaca ainda a colaboração dos dirigentes, treinadores e dos próprios pais dos jovens atletas que «têm contribuído para este sucesso num período complicado. A receita é mesmo trabalhar muito e colocar a prioridades nos mais novos porque sabemos que a prática desportiva é extremamente importante para a juventude». Os 215 atletas estão distribuídos por oito escalões, incluindo o projeto do futebol feminino que tem dois anos e meio de existência. «Este ano houve um aumento no escalão de escolinhas, o que nos deixa bastante satisfeitos. A aceitação foi muito forte e este aspeto é benéfico tendo em conta que poderemos encarar o futuro com muito otimismo, numa região em que há uma diminuição da população jovem», augura o coordenador pedagógico.
O responsável sublinha, no entanto, que os escalões onde há «mais défice» são os de 17/18 anos porque nessa idade os jovens vão estudar para fora da Guarda e já não voltam. «Temos mesmo que fazer uma reflexão sobre esta situação», considera. Os atletas são maioritariamente do concelho da Guarda, principalmente da cidade, mas também há jovens de concelhos vizinhos. E para suportar toda esta estrutura «temos uma logística muito pesada, temos a sorte de podermos contar com 17 técnicos e dois estagiários do IPG. Tem muito a ver com a dedicação e disponibilidade de treinadores muito jovens», acrescenta Paulo Alves.
Em termos de instalações, o problema já é antigo e o dirigente considera que que se trata de «um milagre autêntico, para nós e para outros clubes da cidade. Precisávamos de mais campos e pavilhões para treinar. Sei que este ponto foi muito falado na campanha das eleições autárquicas e colocaram-no na agenda. Espero que a situação possa evoluir positivamente porque só assim poderemos competir com clubes de outras regiões nos campeonatos nacionais. Se tivermos as mesmas condições de outras capitais de distrito poderemos fazer igual ou melhor. Estou a falar de todos os clubes da Guarda que gostariam de ter outras condições. Se compararmos com Viseu ou Castelo Branco é uma diferença abismal», consolida.
O coordenador pedagógico do futebol do NDS diz ter consciência que a Câmara da Guarda faz «milagres com o que tem», mas que é altura de «todos pensarmos» no que é importante. «Algumas prioridades têm que ser revistas. Os clubes da Guarda trabalham tanto ou melhor que os outros», sustenta Paulo Alves.

 

Carlos Gomes

Sobre o autor

Efigénia Marques

Leave a Reply

Financiamento