Desporto

Campeonato de Portugal: Águeda é o primeiro adversário do Vila Cortês do Mondego

Escrito por Pedro Duarte

Equipa do concelho da Guarda integra a série D do Campeonato de Portugal, que começa a 20 de setembro

Já é conhecido o calendário do Campeonato de Portugal, que arranca a 20 de setembro. Na jornada inaugural, o Vila Cortês do Mondego, equipa do concelho da Guarda, vai receber o Recreio de Águeda.

Realizado na passada sexta-feira, na sede da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), o sorteio ditou a Sanjoanense como adversário do segundo jogo, agendado para 4 de outubro. Pelo meio, a equipa orientada por Rui Nascimento disputará a primeira eliminatória da Taça de Portugal, cujo sorteio terá lugar nos próximos dias. Na terceira jornada, marcada para 18 de outubro, a equipa guardense, que faz parte da série D, voltará a jogar na qualidade de visitante no terreno do S. João de Ver. Na seguinte, disputada a 25 de outubro, o Vila Cortês vai receber o histórico Beira-Mar e na quinta jornada (1 de novembro) desloca-se a Castro Daire. A primeira volta do campeonato termina a 10 de janeiro de 2021 e até lá a formação do concelho da Guarda defrontará o Espinho (casa, a 8 de novembro), o Lourosa (fora, a 29 de novembro), o Lusitano Vildemoinhos (casa, 6 de dezembro), Anadia (fora, 10 de dezembro), Valadares Gaia (casa, 3 de janeiro) e o Canelas (fora, 10 de janeiro).

Com oito séries de 12 equipas, a primeira fase do Campeonato de Portugal termina a 3 de abril, iniciando-se a segunda fase quinze dias depois para apurar o campeão e as equipas que se manterão no terceiro escalão do futebol nacional. A final da prova está agendada para 30 de maio. «Uma prova como o Campeonato de Portugal reúne um leque grande de equipas, todas de muita qualidade, por isso fosse qual fosse a série seria sempre difícil. Esta é uma das mais fortes, se não for mesmo a mais forte, e isso eleva, e bastante, a responsabilidade de nos prepararmos o mais convenientemente possível porque estamos conscientes das dificuldades que nos esperam», assume o treinador do Vila Cortês do Mondego-Guarda. Rui Nascimento acrescenta que «julgamos estar no bom caminho para realizar uma prova competente, tendo naturalmente o objetivo de manutenção no nosso horizonte».

Contudo, esse objetivo vai ser «difícil», mas o técnico acredita que, «com o nosso trabalho e o apoio incondicional que a freguesia e cidade nos têm dado, temos condições para fazer um bom trabalho e assim dignificar o distrito». Apoio não faltará, a fazer fé nas palavras de Rui Nascimento, segundo o qual o clube não estava à espera de receber «tanta mensagem de apoio e de haver tantas pessoas, instituições e empresas dispostas a ajudar» nesta nova etapa da coletividade. Na sua opinião, este envolvimento deve-se «à saudade que a Guarda tinha de voltar a ter» uma equipa sénior numa prova Nacional de futebol. «Foram precisos 18 anos, mas o momento chegou e muito nos honra passar a fazer parte da história do desporto da Guarda», sublinha o treinador.

Plantel ainda não está fechado

Para esta estreia no terceiro escalão do futebol nacional, o Vila Cortês do Mondego-Guarda está a construir um plantel «equilibrado e condizente» com as necessidades e possibilidades do clube.

Grande parte da estrutura da época anterior manteve-se e foi reforçada com atletas «de grande qualidade» do campeonato distrital da Guarda. Continuam os guarda-redes Nuno Morais e Rodrigo, os defesas Teles, J.P., Mauro e Alex; os médios Gaspar, Miguel, Carvalheiro, Renato, António e João; e os avançados Rui Santos, Hugo Vaz e André Jesus. Os reforços já assegurados são os defesas Miguel Hortelão (ex-Vila Franca das Naves) e David Reis (ex-Manteigas); os médios André Barra (ex-Sp. Mêda) e Ricardo Quelhas – mais conhecido por Suíço – (ex-Belmonte); e os avançados Setemio (ex-Guarda) e Rafa (ex-Marinhense). Rui Nascimento adianta que o plantel ainda não está fechado, estando prevista a contratação de «mais um defesa, um médio e um avançado».

Terceiro classificado do Distrital da Guarda aquando da paragem do campeonato devido à Covid-19, o Vila Cortês do Mondego aceitou ocupar o lugar deixado vago pelo Sp. Mêda, primeiro classificado, que desistiu de participar na prova por falta de recursos financeiros. Também a AD Manteigas declinou o convite pelo mesmo motivo. A equipa vai jogar no Estádio Municipal da Guarda e também no seu reduto, o Campo 3 de Maio, onde só falta instalar a relva sintética. Segundo a FPF, com 300 habitantes, a aldeia do Vale do Mondego será a mais pequena inscrita no Campeonato de Portugal, mas terá a missão de representar o concelho da Guarda, que não tinha um representante desde a época 2002/2003 quando o Mileu Guarda Futebol Clube alinhou na IIIª Divisão.

Sobre o autor

Pedro Duarte

Leave a Reply