Cultura

João Mendes Rosa sai do Museu da Guarda

Escrito por Luís Martins

João Mendes Rosa vai deixar o Museu da Guarda. A notícia surge no Dia Internacional dos Museus e, ao que O INTERIOR apurou, o diretor vai cessar funções no final do mês para assumir a chefia da divisão de Cultura da Câmara Municipal de Oeiras, cargo para o qual tinha vindo a ser convidado nos últimos meses. 

O escritor sai em ruptura com o vereador do pelouro da Cultura, Victor Amaral, e com a chefe de divisão desta área, Alexandra Isidro. João Mendes Rosa assumiu a direção do Museu da Guarda em fevereiro de 2016, vindo, em regime de mobilidade, do Museu Arqueológico Municipal do Fundão, que dirigiu desde 2007.

Natural da Guarda, é licenciado em Artes Visuais e em História/ Arqueologia e mestre em Arqueologia/Epigrafia Latina pela Universidade de Salamanca. É investigador da Universidade de Salamanca (Departamento de Pré-história, História Antiga e Arqueologia) na área de Arqueologia da Paisagem e Epigrafia desde 2008. Ensaísta, ficcionista, poeta, historiador, museólogo, arqueólogo, dramaturgo e artista plástico, publicou até ao presente mais de 30 livros, desde o romance aos estudos arqueológicos e museográficos, da poesia à biografia, passando pela investigação histórica, conto e teatro. É também cronista de O INTERIOR.

João Mendes Rosa é ainda professor e formador na área da Museologia e Gestão do Património, bem como colaborador da Diocese da Guarda para a área da Arte Sacra. Enquanto museólogo, projetou a instalação do Museu António Guterres (Donas), Casa-Museu D. João Oliveira Matos, Centro de Interpretação da Arte Rupestre (uma parceria do Museu do Côa), Museu da Imprensa e Tipografia e o Museu Arqueológico Municipal do Fundão e inúmeras mostras museográficas patentes em vários pontos do país.

Na Guarda deu novo impulso ao museu regional, que, sob a sua égide, recebeu várias exposições de artistas contemporâneos de renome nacional e internacional. João Mendes Rosa é também o mentor do Simpósio Internacional de Arte Contemporânea (SIAC) da Guarda. A direção do Museu da Guarda deverá ser assumida interinamente por Thierry Santos, técnico superior da autarquias. Saiba mais na próxima edição de O INTERIOR.  

Sobre o autor

Luís Martins

Deixar uma resposta