Cultura

«Há uma Covilhã cultural antes e depois do surgimento deste Coro»

Escrito por Sofia Craveiro

O Coro Misto da Beira Interior assinalou ontem 30 anos de existência com a inauguração de uma exposição fotográfica na Biblioteca Municipal da Covilhã. A mostra é representativa da história do grupo coral que integra a Associação Cultural da Beira Interior e foi apresentada numa cerimónia onde foram homenageadas várias personalidades que contribuíram para o sucesso do Coro.

«Há uma Covilhã cultural antes e depois do surgimento deste Coro», afirmou Vítor Pereira, Presidente da Câmara Municipal da Covilhã durante o seu discurso de agradecimento. O edil foi um dos homenageados durante a cerimónia, a par com nomes como Paulo de Oliveira (empresário), Marta Oliveira (empresária), João Magalhães (empresário), Alçada Rosa (antigo governador civil de Castelo Branco), Martinho Lopes (padre) e José Sócrates. O antigo primeiro-ministro não compareceu à sessão nem se fez representar, mas deixou uma mensagem de agradecimento que foi lida na cerimónia.

 

Foram ainda distinguidos vários os membros do Coro com a oferta de diplomas e de uma peça artesanal em forma de ovelha. A figura simboliza todas as pessoas que integraram a história do grupo da  mesma forma que «a lã é o material que permite fazer uma camisola bonita», explicou Luís Cipriano, maestro do Coro Misto da Beira Interior.

A exposição fotográfica “Coro Misto da Beira Interior – 30 anos de palco” estará patente na Biblioteca Municipal da Covilhã até 30 de abril.

Sobre o autor

Sofia Craveiro

Deixar uma resposta