Cara a Cara

«O livro foi baseado nas transcrições do relatório de Sacadura Cabral sobre a travessia do Atlântico Sul»

Dsc 8711
Escrito por Efigénia Marques
P – Como surgiu a ideia de criar o livro “A Enigmática Travessia do Atlântico Sul, 1922” para assinalar o centenário deste feito? R – Esta ideia surgiu no sentido de transmitir a verdadeira história de Sacadura Cabral e Gago Coutinho nesta travessia fantástica entre Lisboa e o Rio de Janeiro. O objetivo foi mesmo levar, aproximar, esta história a outros públicos tornando-a mais interativa e de participação pessoal. P – O livro proporciona uma aventura rica, em que as pessoas podem entrar a própria viagem… R – Sim, é um livro diferente. Um livro-jogo tem esse propósito, de uma participação pessoal, passo a passo, a acompanhar estes heróis na sua viagem. Foi baseado nas transcrições do relatório de Sacadura Cabral, que é um documento bastante rico e minucioso, em que ele explica toda a viagem e assim é que conseguimos mesmo acompanhá-los, ver todos os instrumentos que utilizaram, as dificuldades que enfrentaram, desde a perda do avião ao facto de terem ficado perdidos no meio do oceano… É uma história fantástica que vale mesmo a pena ver. P – Ou seja, foi preciso pesquisar bastante? R – Sim. Este trabalho demorou vários anos, mas pelo rigor que se exigia fiz questão que todas as ilustrações fizessem jus à época, caso do hidroavião, dos modelos, mapas, e de Lisboa na altura de 1922. Além de ter a manipulação de instrumentos, aliás, são fornecidos com o livro alguns materiais de manipulação de instrumentos, mas também para garantir uma interatividade e uma imersividade diferente, foram incluídos no livro ambientes de 360º graus, o que dá uma experiência totalmente diferente, mas fiz questão de ter muito rigor. Um exemplo disso mesmo é quando Gago Coutinho e Sacadura Cabral estiveram perdidos no Oceano Atlântico, em que fiz questão de perceber o sítio exato onde estavam e desenhar a partir daí o céu estrelado como estava naquela localização exata. Foi bastante trabalhoso, mas acho que consigo passar a mensagem do verdadeiro ato de heroísmo que eles protagonizaram. P – Este é um livro para miúdos e graúdos? R – Sim. Inicialmente estava mais virado para miúdos, mas tendo em conta a complexidade, acho que faz todo o sentido que toda a gente tenha conhecimento da verdadeira história e que “experimente” esta viagem histórica porque só ficamos mais ricos. Além disso, Gago Coutinho e Sacadura Cabral são de cá, têm uma ligação territorial connosco, eles é que são os verdadeiros heróis. P – E quando estará disponível para o público e em que locais? R – Está para breve. Posso desde já avançar que poderá ser adquirido num local em Celorico da Beira e outro na Guarda – que ainda não estão definidos – e será também possível fazer encomendas online através do site www.enigmaticatravessia.pt e nas redes sociais. Em breve estarão lá todas as informações necessárias. Uma coisa que quero ressalvar é que fiz questão que todos os serviços fossem contratualizados cá na região. _________________________________________________________________________

MARCO PITT

Autor do livro “A Enigmática Travessia do Atlântico Sul, 1922” Idade: 41 anos Naturalidade: França Profissão: Técnico de informática da Câmara Municipal de Celorico da Beira Currículo (resumido): Autodidata, curso profissional na área de multimédia Filme preferido: “Fight Club”, de David Fincher Livro preferido: “O Príncipe”, de Maquiavel Hobbies: Desporto e “chatear” os filhos

Sobre o autor

Efigénia Marques

Leave a Reply

Financiamento