Cara a Cara

«A próxima época depende muito mais das diretrizes da Direção-Geral de Saúde do que da Federação Portuguesa de Futebol»

Escrito por Sofia Craveiro

Entrevista a Amadeu Poço, reeleito Presidente da Associação de Futebol da Guarda

P – Quais são os seus principais projetos para este mandato?

R – Os principais projetos para este mandato são aqueles que enumerámos ao longo da nossa campanha, e passam principalmente pelos seguintes pontos: construção de uma academia de futebol, criar uma maior proximidade aos clubes, reativando as reuniões em todos os concelhos, dar apoio aos diversos setores da Associação de Futebol da Guarda, como a arbitragem, e apostar na formação de jogadores, treinadores, árbitros e dirigentes.

P – De que depende a construção da Academia do Futebol Distrital?

R – A construção da Academia de Futebol Distrital depende primeiramente do apoio da Federação Portuguesa de Futebol e depois do apoio de outra entidade, que poderá ser uma autarquia.

P – Como está a AF Guarda em termos financeiros? Como conta resolver o problema das dívidas dos clubes à associação?

R – Em termos financeiros, a AF Guarda não tem dividas, a não ser as dívidas correntes. Em relação às dívidas dos nossos clubes à Associação, neste momento existe um plano de “fair play” financeiro que os clubes estão a cumprir e que poderemos eventualmente melhorar, se for o caso.

P – Como vai ser a próxima época de futebol distrital?

R – A próxima época desportiva está dependente das diretrizes da Direção-Geral de Saúde, muito mais do que das próprias diretrizes da Federação Portuguesa de Futebol.

P – Por que nenhuma equipa da AF Guarda consegue manter-se no Campeonato de Portugal?

R – Essa é uma pergunta para a qual a AF Guarda não tem uma resposta concreta, mas poderá ter a ver com a atual situação económico-financeira do nosso distrito e a carência de grandes empresas que possam patrocinar os nossos clubes.

P – O que falta ao futebol da Guarda para se afirmar num campeonato mais competitivo?

R – Responder-lhe-ei com as mesmas razões que expus anteriormente, melhores condições económico-financeiras. Porque a situação económica é aquilo que falta para termos clubes de uma determinada dimensão.

 

Perfil de Amadeu Garcia de Andrade Poço

Idade: 74 anos

Naturalidade: Souropires (Pinhel)

Profissão: Aposentado

Currículo: Jogador de futebol da Académica de Coimbra; presidente da Câmara Municipal de Pinhel; presidente do União Desportiva “Os Pinhelenses”; presidente do Centro Social Recreativo e Cultural de Souropires e presidente da AF Guarda desde 2003.

Livro preferido: Não respondeu

Filme preferido: Não respondeu

Hobbies: Não respondeu

Sobre o autor

Sofia Craveiro

Deixar uma resposta